Fenômeno Susan Boyle perde programa de calouros no Reino Unido

Cantora foi superada pelo grupo de dança Diversity e ficou em segundo.
Ela apresentou música que a consagrou, ‘I dreamed a dream’.

Foto: Reprodução Foto: Reprodução

Apesar das expectativas, Susan Boyle perdeu o ”Britain’s got talent” (Foto: Reprodução)

O mundo todo esperava, mas o público que votou na grande final do programa “Britain’s got talent” não quis: Susan Boyle, maior fenômeno recente da música britânica perdeu o prêmio principal para um grupo de dançarinos chamado Diversity.

A última etapa da atração aconteceu neste sábado (30), e Boyle deixou de faturar o prêmio de 100 mil libras (aproximadamente R$ 320 mil), e a oportunidade de se apresentar diante da rainha, durante o Royal Variety Show.

Ao saber da notícia, Boyle afirmou: “As melhores pessoas venceram. Desejo a vocês o melhor”. Questionada sobre seus planos, ela disse que quer lançar um disco. E encerrou: “Que jornada! Foi inacreditável e uma lição de humildade”.

Vestindo um elegante longo prateado –bem diferente do estilo simples apresentado na primeira etapa da da competição–, ela cantou a mesma música que a consagrou: “I dreamed a dream”, do musical “Les misérables” (assista ao vídeo da apresentação).

No fim da apresentação, disse que queria agradecer o apoio de todos, de sua cidade natal e também do público. “Foi uma semana de muita pressão para todos nós. Mas valeu muito a pena. Me sinto em casa no palco. Afinal, estou entre amigos”, afirmou Boyle.
Após o show, a escocesa foi aplaudida de pé tanto pelo público quanto pelo jurados, que a exemplo das outras apresentações, foram só elogios para a cantora. “Você foi o centro das atenções do mundo, saíram notícias negativas a seu respeito. Mas eu só conseguia pensar que, para responder aos críticos, você deveria subir neste palco e cantar a canção pela qual nos apaixonamos, ainda melhor do que na última vez”, afirmou Piers Morgan, um dos jurados. “Eu deveria ser imparcial, mas esqueça! Você é a melhor e deveria vencer essa competição.”
Conhecido como durão, Simon Cowell também apoiou a competidora. “Você tinha todo direito de sair do programa. Muita gente disse que você não deveria estar aqui. Ganhando ou perdendo, você voltou, enfrentou os críticos e os superou. Isso é o mais importante. O que quer que aconteça, você pode sair daqui de cabeça erguida.”

Diversity

Foto: Reprodução

O grupo Diversity venceu Susan Boyle no show de calouros (Foto: Reprodução)

O grupo de dançarinos que surpreendeu ao deixar Boyle em segundo conquistou o Reino Unido com uma dança cheia de acrobacias ao som de um mix de rap e dance music, com efeitos eletrônicos.

Muito aplaudido pelo público e também pelos jurados após o show, os integrantes afirmaram estarem muito satisfeitos por ter chegado tão longe na competição.

Os jurados, no entanto, se mostraram mais otimistas. Amanda Holden apostou na vitória do grupo, e Simon chegou a afirmar que lhes daria nota 10, definindo sua apresentação como “perfeita”.

Pronta para faturar

A escocesa de cabelo rebelde, não se parece em nada com uma estrela. É gordinha, de aparência melancólica e não tem o sorriso típico das celebridades. Mas sua voz de ouro a tornou uma das favoritas no “Britain’s got talent” e celebridade da internet. O vídeo da primeira apresentação da caloura no programa já ultrapassou a marca dos 60 milhões de acessos no YouTube.


Com um fã-clube de famosos, que inclui a atriz Demi Moore e a cantora Cyndi Lauper, Boyle ofuscou todos os outros candidatos. Especialistas na área de entretenimento afirmaram ao jornal “Telegraph” que o interesse do público por Boyle não deve diminuir com o fim do programa. Paul Pott, primeiro vencedor da atração em 2007, faturou quase cinco milhões de libras, e a cantora escocesa deve superá-lo facilmente.

Alguns grandes nomes da música já manifestaram vontade de gravar com Boyle. Elaine Paige, a heroína da competidora, e Andrew Lloyd Webber também consideraram parcerias com ela. Fontes da indústria fonográfica cogitam, no entanto, que a prioridade de Boyle é gravar um álbum para o selo Syco, de Simon Coweel, produtor e jurado do programa.

As apostas para o álbum são grandes, já que Boyle, ao contrário dos competidores anteriores do “Britain’s got talent”, ganhou fama internacional e sua vida vem sendo acompanhada dia-a-dia por paparazzi, jornalistas e pelo público do mundo todo. Sua simples aparição provoca tanto ou mais comoção do que sua música.Mas até agora o sucesso não trouxe nenhum retorno financeiro para Boyle. “Pelo que podemos perceber, não acho que ela teve retorno financeiro algum, o que é uma vergonha”, explica Matt Fiorentino, porta-voz da Visible Measures, uma empresa de Massachusetts que acompanha os sucessos do YouTube
“Nós contamos centenas de milhares de comentários sobre ela, e o público está ávido por um álbum. As pessoas realmente se apaixonaram por ela”, diz Fiorentino.
Segundo ele, a primeira performance de Boyle – quando ela surpreendeu os céticos jurados e a plateia com sua voz de anjo – foi perfeita para o YouTube. Se tornou o quinto vídeo mais visto de todos os tempos. “Ela tem a história perfeita para este tipo de mídia”, avalia Fiorentino. “As pessoas a julgaram pela aparência, e aí ela revelou essa voz fantástica e se tornou um sucesso.”

Vizinhança

Foto: Derek Blair/AFP

Vizinhos colocaram mensagens de apoio nas janelas das casas em Blackburn (Foto: Derek Blair/AFP)

A competição se tornou o único assunto em Blackburn, o pequeno vilarejo escocês onde Susan Boyle era uma cantora comum nas noites de karaokê do pub local. “Estamos todos torcendo por ela”, contou o gerente do pub Jackie Russel, antes da final do programa. “O melhor ainda está por vir”, apostou, certeiro.
Telões foram instalados no vilarejo e estava prevista uma festa no centro comunitário onde Susan era voluntária.

Anúncios